Porto de Morro de São Paulo

Morro de São Paulo | Bahia

Parque das Aves

Foz do Iguaçu | Paraná

Estação da Luz

São Paulo | SP

Terceira Praia

Morro de São Paulo | Bahia

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Feliz Natal! Feliz 2011!


domingo, 17 de outubro de 2010

Padarias em São Paulo/SP: Seleção do Basílico


Publicado em 13/11/2010, no Basilico.com.br uma seleção de algumas padarias para se deliciar com o que há de mais gostoso: o pão.

No entanto, sentimos falta de alguma padarias que costumamos frequentar como a Euroville nas Perdizes, a Casa de Pães Villa Real na Lapa, da La Plaza na Av. Sumaré, e da Dona Deôla no bairro da Pompéia.

Eis a matéria:

Pão, Pão, Pão
Publicado em 13/10/2010 23:39:10
http://basilico.uol.com.br///interna.php?id=1872

Um dos alimentos mais antigos do mundo, o pão possui uma receita básica, a partir de água, farinha de trigo e fermento, mas é tão mutável e versátil, que assume uma infinidade de formas e sabores.

Segundo historiadores, o alimento surgiu há cerca de seis mil anos na região da Mesopotâmia, onde atualmente está situado o Iraque.

A origem de seu principal segredo, a fermentação, remonta à própria história do processo descoberto no Egito, também há aproximadamente seis mil anos.

Depois dessa descoberta, a receita foi se modificando e recebendo diferentes ingredientes complementares, como especiarias, frutas e açúcar. Em cada região do mundo, o pão tem uma forma e um sabor peculiar, marcante.

Tão presente no cotidiano de bilhares de pessoas, o pão ganhou um dia mundial em sua homenagem, o dia 16 de outubro. E para celebrar, fizemos uma seleção com algumas padarias de São Paulo que servem com esmero o pão quentinho de todos os dias.

Aracaju
R. Maranhão, 760, Higienópolis
Tel.: (11)3666-8857

Bakery Itiriki
R. dos Estudantes, 24, Liberdade
Tel.: (11) 3277-4939

Basilicata
R. 13 de Maio, 614, Bela Vista
Tel.: (11) (11) 289-3111

Dengosa Pães e Doces
R. Melo Alves, 281, Cerqueira César
Tel.: (11) 3061-2919

Empório Moema
Av. Macuco com R. Canário, Moema
Tel.: (11) 2101-4000

Letícia
R. Cerro Corá, 1865, Alto da Lapa
Tel.: (11) 3022-6633

Pain de France
R. Cônego Eugênio Leite, 1156, Pinheiros
Tel.: (11) 3812-2649

PAO
R. Bela Cintra, 1618, Jardins
Tel.: (11) 3384-6900

Santa Marcelina
R. Barão do Triunfo, 1349, Campo Belo
Tel.: (11) 5533-5368

St. Etienne
R. Harmonia, 699, Vila Madalena
Tel.: (11) 3819-2578

sábado, 16 de outubro de 2010

Cacilda Restaurante


O Cacilda Restaurante, localizado no bairro da Lapa, na capita paulista, é um lugar que se você não quiser esperar tem que chegar cedo! Num sábado, se você chegar por volta das 13:30/14:00 certamente terá que esperar no mínimo 40 minutos.

Depois de duas tentativas frustradas, dessa vez, decidimos esperar. Deixamos nosso nome e nos ajeitamos num cantinho do bar. Enquanto esperávamos, pedimos uma bebida, fomos nos adiantando no cardápio e observando o ambiente.


O bar é todo em madeira e fica sob um de dois mezaninos sustentados por antigas colunas de ferro, o piso do térreo é feito de bonitos mosaicos de ladrilho hidráulico.


O Cacilda é um casarão localizado numa tranquila rua do bairro da Lapa, ao lado do Teatro Cacilda Becker (reinaugurado em 2009 após grande reforma). O lugar é muito agradável; o bar é movimentado, o ambiente é super bonito, harmonioso, com uma atmosfera bem descontraída.

Após quase 45 minutos de espera, nos acomodaram numa mesa no andar superior, com vista panorâmica para o bar e para um jardim com fonte e vários tipos de plantas.

O cardápio recheado de opções nos deixou com muitas dúvidas na hora de decidir. De entrada pedimos uma brusquetas. Diferente das que estávamos habituados, essa tinha por cima do tomate, queijo mussarela derretido e gratinado. Delicia!

Brusqueta

Pratos principais.

A escolha do Edu: Steak au Poivre: Filet mignon ao molho madeira com pimenta verde, gnocchi de mandioca frito e arroz.

Steak au Poivre
A escolha da Helena: Medalhão Café Paris: Filet mignon com ervas finas e parmesão, arroz com brócolis e batatas noisette.

Medalhão Café Paris



O Cacilda Restaurante fica na
Rua Tito, 237 - Lapa
São Paulo/SP
Tel.: 11 3679-2044
http://www.cacildabarerestaurante.com.br/

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

São Paulo Restaurant Week 2010


São Paulo sedia mais uma edição do Evento SPRW com início em 30 de Agosto até 12 de Setembro.

Restaurant Week retorna à São Paulo com menus atrativos para mais uma maratona gastronômica em 210 restaurantes localizados em todas as regiões da cidade.

A receita é simples: entrada, prato principal e sobremesa a um preço fixo, igual em todas as casas participantes: almoço por R$ 29,00 + 1,00 e jantar por R$ 39,00 + 1,00. Este um real acrescentado à conta será destinado a uma importante entidade beneficente, como ocorre em todas as cidades. Em São Paulo, a entidade beneficiada será a fundação Ação Criança.

O circuito Restaurant Week nasceu há 18 anos em Nova York e desde então, acontece em mais de 100 cidades ao redor do mundo. No Brasil, São Paulo foi a pioneira e após grande sucesso, se expandiram para outras cidades como Rio, Brasília e Recife. São Paulo recebe sua sétima edição do SPRW entre os dias 23 de agosto e 12 de setembro. Esta edição contará com uma semana extra de 23 a 29 de agosto somente para os clientes Mastercard Black e Platinum que poderão usufruir do evento durante uma semana exclusivamente para eles. Assim, serão três semanas de agitação na cidade, uma ótima oportunidade para os gourmets visitarem restaurantes de diversos estilos e etnias espalhados por toda a São Paulo.

Veja a lista completa dos restaurantes participantes

Fonte: http://www.restaurantweek.com.br/

sábado, 14 de agosto de 2010

São Bernardo Restaurant Week

São Bernardo está muito longe de ter um circuito gastronômico compatível com a importância e tamanho da cidade. Na minha opinião, essa grande defasagem gastronômica se deve a vizinha capital.

Sempre achei que a proximidade com São Paulo limita o surgimento de estabelecimentos mais sofisticados, afinal, esses estabelecimentos são criados para uma minoria que pode preferir se deslocar para a capital.
Apesar disso, há alguns restaurantes que aprecio muito em São Bernardo e outros que ainda preciso conhecer. Entre os que aprecio estão o Restaurante Madalena, já comentado nesse blog e o La Cantina, que pretendemos comentar em breve.

Essa semana terminou o São Bernardo Restaurant Week, evento similar ao que ocorre em São Paulo e outras cidades pelo mundo. Os restaurantes participantes oferecem almoço a 27,50 e jantar a 39,00. A refeição inclui entrada, prato principal e sobremesa. Esse preço, que para os restaurantes participantes em São Paulo é uma pechincha, para os de São Bernardo parece significar um sobrepreço ao cardápio normal...

Mesmo com poucos restaurantes, é muito bem vinda a participação de São Bernardo, e esperamos que sirva de incentivo a tantas outras cidades fazerem parte desse evento que só tem a agregar no desenvolvimento da gastronomia em nossas cidades. Aproveitamos o único dia que dispunhamos para conhecer o Praiano Rei do Abadejo.

O restaurante está localizado próximo às margens da represa Billings, cercado de mata atlântica e apresenta uma decoração rústica num ambiente bem descontraído que remete ao clima praiano. Nem parece que estamos a 700 metros de altitude!
Antes de pedirmos o prato da promoção, demos uma olhada no cardápio. A proposta do restaurante são pratos grandes para família, a variedade de combinações de pratos de peixes é enorme, com preços bem interessantes. Logo notamos que o prato da promoção não tinha similar, já que não há pratos individuais no cardápio, mesmo assim foi ele que pedimos.

Quando pedimos, a garçonete foi logo nos prevenindo que aquele prato era individual (em outras palavras, era mais caro e não era de tamanho família como os demais). Mas era isso o que queríamos experimentar! O prato participante do restaurante é:

Entrada: casquinha de camarão

Prato principal: Abadejo com amendoas e risoto com frutos do mar


Sobremesa: Mousse de café

com sorvete de creme

O prato estava delicioso, combinação perfeita! Era individual, porém, em tamanho que satisfaria o maior dos comensais.

Olhamos ao redor e não vimos o prato da promoção em outras mesas. O que vimos mesmo foram os pratos tamanho família.
Ficamos tentados a voltar (e levar outras bocas) para provar outros pratos. Pena que o Abadejo com Amêndoas vai ficar só na saudade!


Praiano Rei do Abadejo.
Estrada Caminho do Mar, km 32 - Riacho Grande
São Bernardo do Campo/SP
Tel: 11 4354-9413
http://www.restaurantepraiano.com.br/

sábado, 7 de agosto de 2010

Juruaia e Guaxupé/MG

Passado para nós, porque para os felizes moradores de Juruaia (que são felizes e talvez não saibam), é o presente e o futuro.
Paróquia de São Sebastião
Foi uma lição de desapego aos valores “modernos”, aos bens que nos fizeram considerá-los indispensáveis.

Fomos à Juruaia, cidade no Sul de Minas Gerais para visitar parentes da Helena que ela não via desde criança.

Encontramos uma cidade de 9 mil habitantes, onde o modo de vida das pessoas se parece mais com as histórias que nossos pais e avôs contam.

O que quebra um pouco a pacacidade desse lugar, ainda predominante rural, é que ela se transformou no maior pólo de produção de lingeries do país, o que a deixou repleta de sensuais outdoors que divulgam as inúmeras marcas locais.

O que fica claro é que as pessoas são mais felizes com menos. E não é difícil perceber o porquê: maior convívio familiar, maior contato com a natureza, alimentos naturais e mais saudáveis, nada de stress no trânsito!


Se você acha que consegue se desapegar do que a cidade grande proporciona para se livrar do que ela toma da sua vida, esta aí uma ótima dica para mudar de vida!

Secagem do café
Se você é como nós: reclama da imensa quantidade de problemas que a cidade grande nos trás, mas não consegue mais ficar longe dela, vale muito como terapia e lição de vida para um fim de semana!

Aqui têm tilápias

Guaxupé/MG

Guaxupé foi uma parada estratégica para hospedagem, pois não encontramos hotel ou pousada e Juruaia.  

Localizada a apenas 20 kilômetros de Juruaia, Guaxupé é conhecida como região cafeeira, sendo uma das mais importantes. A cidade conta com uma cooperativa, que exporta cafés para diversas partes do mundo.

Paróquia Nossa Senhora das Dores

A lateral da paróquia


sábado, 17 de julho de 2010

Porto Alegre | Caxias do Sul | Gramado e Canela

Inicialmente o plano que tínhamos para esse feriado para aproveitar milhagem aérea a vencer e ir à Buenos Aires.

Até nos darmos conta de que lá também seria feriado importante no país - 9 de julho é a data em que eles comemoram o aniversário da vitória da Argentina sobre a Espanha na conquista de sua independência - passear numa data de feriado tão importante no país não nos pareceu tão atrativo: comércio fechado, festas cívicas para todo o lado, comprometeriam o pouco tempo de passeio que teríamos.

Também nos demos conta de outro evento potencial não menos importante: Na altura da reserva das passagens, a situação da Copa do Mundo não estava ainda definida. Não nos interessava estar na Argentina no dia da final da Copa caso estivesse na final! Pior ainda se fosse contra o Brasil! Felizmente dessa vez a Espanha triunfou sobre a Argentina... Viva a Espanha! - brincadeirinha.

O destino escolhido não deixou de ter relação com a data do feriado: bem no dia em que os paulistas comemoram a fracassada Revolução Constitucionalista de 1932, fomos ao estado que foi um dos mais responsáveis pelo massacre aos rebeldes paulistas, o Rio Grande do Sul.

Esse destino já é antigo conhecido nosso, mas resolvemos voltar a curtir um pouco o clima e a gastronomia da região serrana gaúcha.

Fizemos uma pequena escala técnica em Porto Alegre, e nos hospedamos no Ibis. Dispensamos o café da manhã do hotel para experimentar um café argentino - engraçado para nós, que inicialmente pensamos na Argentina.


O café Media Luna, no charmoso bairro de Moinhos de Ventos, serve um combo de café da manhã que é composto por duas media lunas com presunto e queijo, duas media lunas puras, um pão caseiro, doce de leite pastoso, manteiga, um copo de suco de laranja natural e uma xícara de café.


Ambiente muito agradável, comida deliciosa!

Media Luna
Rua Dr. Timóteo 890 - Moinhos de Vento - Porto Alegre/RS
Tel. (51) 3264-0942

Após o café fomos explorar a cidade. Fomos conhecer o Mercado Público de Porto Alegre.


Inaugurado em 1869, o Mercado Público foi inaugurado para abrigar o comércio de abastecimento da cidade, e é Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Alegre,


Cerca de 150 mil pessoas circulam pelo mercado diariamente.


São 110 estabelecimentos comerciais que vendem de tudo: peixes e frutos do mar, carnes variadas, frutas, verduras, artesanato, cozinha japonesa, lancherias, pastelaria, padarias, alimentos para animais, sementes, mudas de plantas, artesanato regional, bomboniere, lotéricas, bancas de revistas e jornais, flora e artigos para umbanda, peixes ornamentais e produtos para aquários, cafeteria, barbearia, livraria.

Saímos de Porto Alegre à tarde, e à noite estávamos em Gramado. Nos hospedamos em Canela, na Hospedaria Provençal, uma pousada afastada da cidade, muito aconchegante e com instalações ótimas.


Depois de nos instalarmos na pousada, fomos comer fondue no restaurante Vue de La Vallée 

Tradição em Gramado e Canela, servido em quase todos os restaurantes é a sequência de fondue que inclui: queijo, carne (frita ou na pedra) e chocolate.

Nos serviram uma entrada com frios e torradas com manteiga
Escolhemos o restaurante Vue de La Vallée porque foi lá que aprendi a usar batatinhas cozidas na fondue de queijo. Não sei se é um padrão geral, mas graças a esse restaurante, sempre que penso em fondue de queijo, penso nas batatinhas! 

Fondue de carne. Vários molhinhos...
Ah! o restaurante é anexo ao hotel de mesmo nome.

O sabor do queijo estava gostoso, mas diferente do convencional. Essa fondue foi feito com queijo tipo prato uruguaio.

Fondue de queijo
O jantar foi regado ao honesto Merlot Don Abel, da vinícola do mesmo nome que fica em Casca/RS.
O "grand finale" ficou por conta do fondue de chocolate. Com oito tipos de frutas, a "sobremesa" dispensa qualquer tipo de comentário.

Os garçons foram extremamente atenciosos e simpáticos, e vinham à toda hora nos perguntar se estava tudo bem.

Caxias do Sul


No dia seguinte, fomos à Caixas do Sul para conhecer e almoçar na Vinícola Lacave. Localizada às margens da Rodovia BR, 116,  a construção foi inspirada  na planta original de um castelo espanhol do século XI, e teve sua construção iniciada em 1968, e durou 10 anos. Foi então um sonho realizado sonho do uruguaio Juan Carrau.


Nada que se compare aos autênticos castelos do Loire francês, mas se tratando de Brasil, o lugar é encantador!


O restaurante oferece um típico almoço italiano/gaúcho, complementado com sequência de massas e carnes. Definitivamente um convite à glutonaria. Tem que vir preparado para comer.


Após o banquete, há ainda a visita guiada pelo castelo. Além do espaço para festas (estavam montando o salão para um casamento), há a vinícola, com degustação e tudo.

Armadura
Tudo remete a um castelo medieval, desde a decoração até a roupa das meninas que fazem o tour com os visitantes.



Adega


Na saída, ainda tem a lojinha para comprar vinhos, espumantes, licores... etc.

Vitral da lojinha

No dia seguinte, em Canela, a caminho do Parque do Caracol, demos uma passada rápida no Castelinho Caracol.  só para umas fotos. Voltaríamos mais tarde, pois iríamos experimentar o tradicional apfelstrudel, uma referência quando se pensa nesse doce.


O Castelinho é uma construção de 1913, feita toda com madeira de araucária.


Hoje, os descendentes do Pedro Carlos Franzen, construtor da casa, administram o local como um museu e lanchonete que serve os deliciosos apfelstrudel e chá de maçã.




O dia para um parque estava muito favorável. Dessa vez, visitamos apenas a Cascata do Caracol.


Além da cascata, o parque oferece muitas atrações como: trilhas, passeio de trem que te leva até a Vila dos Imigrantes. Durante o passeio você fica sabendo um pouco da história dos imigrantes alemães e italianos.

Se tiver disposição, você pode descer a escadaria de 927 degraus até a ver a cascara de baixo para cima. Descer e até fácil, mas e depois subir?


Após a rápida passada no parque, fomos almoçar no centrinho da cidade. Paramos Empório Canela .




Cardápio muito criativo. Impresso em formato de jornal

O local abriga um misto de empório, restaurante e livraria.

Filé ao molho de vinho e batata rosti

Mignon ao funghi com risoto de champignon

Cafezinho...

O Empório Canela

Catedral de Pedra
Após o almoço, voltamos ao Castelinho do Caracol, daí sim, para comer o apfelstrudel.

Agora sim!
Diferentemente do conhecido apfelstrudel, o do Castelinho não tem massa, só recheio, que é produzido cozinhando a polpa da maçã por horas, e a sua casca, é utilizada para fazer o delicioso chá.


A cozinha é aberta a visitação. Eis o registro.

O interior da cozinha e o fogão das delícias!
O apfelstrudel é servido com uma farta porção com sorvete de creme ou com natas.


Além do apfelstrudel, tem waffle, alguns lanchinhos e bebidas diversas.

Apfelstrudel com sorvete de creme e chá de maçã
O castelinho também tem uma lojinha e pode-se comprar doces e souvenires. No salão onde nos deliciamos com o doce, haviam nas paredes, relógios cuco de vários tipos e formatos. Tudo muito lindo. Uma verdadeira sinfonia, e todos à venda.

Relógios à venda


A vida começa em qualquer tempo... 

Gramado

Perto do início da noite, fomos até Gramado para tomar um café e passear pela cidade. Não demorou muito para nos deparamos com uma neblina muito intensa, que mal dava para enxergar a distância.

Av. Borges de Medeiros

O Palácio dos Festivais encoberto pela neblina

Igreja Matriz  São Pedro
E assim, foi nossa última noite na cidade.

No dia seguinte, após o café da manhã, fizemos o check-out, e... assim foi nossas pequenas férias pela Serra Gaúcha.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...